Luso Football

Blog dedicado às Camadas Jovens/Futebol de Formação do Sporting Clube de Portugal.

domingo, dezembro 24, 2006

Bruno Pereirinha integrado no plantel senior



In "O Jogo":

"A partir de Janeiro, Paulo Bento contará com médio ofensivo que, esta época, tinha sido emprestado ao Olivais e Moscavide
Pereirinha reforça plantel
Ainda com idade de júnior, estava a competir na Liga de Honra, mas, com a reabertura do mercado, passará a fazer parte das opções do técnico leonino em 2007.

Bruno Pereirinha está “convocado” por Paulo Bento para integrar o plantel principal do Sporting a partir de Janeiro. O médio, de 18 anos, representou o Olivais e Moscavide durante a primeira parte da época, mas o regresso aos leões, nos primeiros dias de 2007, já tinha ficado alinhavado entre os clubes aquando do empréstimo do jogador. Essa situação previa a integração do médio na equipa júnior, mas, afinal, Pereirinha será parte do plantel principal.

Este resgate foi uma prenda de Natal para Bruno Pereirinha, que, até ontem, ainda não tinha sido oficialmente informado de que regressará a casa muito em breve. "Se se concretizar, fico contente, pois é uma oportunidade para mim", disse a O JOGO. Trabalhar com a equipa principal não é, aliás, novidade para o médio, que já foi convocado pelo técnico Paulo Bento uma vez, em Janeiro deste ano, quando os leões perderam em Braga por 3-2.

Pereirinha actua a extremo, ou no “miolo”, e não tem preferência por nenhum dos postos. "Gosto de jogar nas duas posições e tento desempenhá-las bem", afirmou, acrescentando "estar pronto" para lidar com a pressão de actuar pela equipa principal.

Devido a algumas lesões, Pereirinha conta apenas nove jogos na Liga de Honra, dois deles a titular. E ainda fala como se usasse a camisola 47 do Olivais e Moscavide: "A experiência aqui está a ser boa, acho que estou a evoluir."

Pode actuar em qualquer posição do meio campo ofensivo
Técnica e velocidade são pontos fortes

Médio polivalente, Bruno Pereirinha, actualmente com 18 anos – faz 19 em Março –, pode actuar em qualquer posição do meio campo ofensivo, seja nas alas, tanto à esquerda como à direita – ainda que jogue preferencialmente com o pé direito –, seja como médio-interior, ou mesmo no centro, na posição em que se sente mais à vontade. Características que deixam antever a sua utilidade no esquema de Paulo Bento. Os principais pontos fortes deste internacional português Sub-19 – com 68 kg e 1,73 cm – são a velocidade (não só a correr, como a executar), a capacidade técnica, o passe e a criatividade que coloca no seu jogo e no da equipa. Aliás, uma das suas grandes características é a capacidade para fazer assistências para os finalizadores. Embora se trate de um jogador que remata com frequência, Bruno Pereirinha não é um concretizador nato, acabando por marcar poucos golos ao longo da temporada. Bolas paradas e jogo aéreo também não são o seu forte.
"



Bruno Alexandre Marques Pereirinha
02/03/1988 (Junior de 2º ano)
Médio ofensivo

Bruno Pereirinha pode jogar a extremo direito (se necessário na esquerda), num 4-1-2-3 também já jogou a interior direito e a interior esquerdo.
Jogador muito rápido cujo habitat natural será o flanco onde pode tirar melhor partido da sua velocidade, possui técnica muito acima da média, e tem excelente qualidade nos cruzamentos.

A entrada deste talento precoce e muito promissor no plantel senior tornaria possível ao Sporting jogar com extremos caso essa fosse a ideia de Paulo Bento.
Se este miudo tiver humildade e não for castigado por lesões então sem duvida que é um rapaz com um futuro brilhante à sua frente pois talento é coisa que não lhe falta.

Campeão Nacional de Juniores (Luís Martins/Paulo Bento) em 2005/06.
Campeão Nacional de Juvenis A (João Couto) em 2004/05.

Em 2005/06 jogou 32 jogos pelos Juniores, sendo titular em 24 deles, e entrou a suplente em 8, marcando 4 golos.
Em 2006/07 já jogou 369 minutos em 9 jogos pelo "Olivais e Moscavide" sendo titular em 2 (incluindo na última jornada) e suplente em 7.



André Figueiredo

6 Comments:

At 11:38, Blogger André179 said...

Correio da Manhã

"Aliás, neste momento, tal como o CM noticiou ontem, a solução para o reforço do eixo central pode mesmo ser interna. Carriço, um dos mais promissores jovens da ‘cantera’, pode ver antecipada a sua chegada ao plantel de Paulo Bento. A confirmar-se a promoção do jovem central, o Sporting descarta qualquer contratação para a defesa, preferindo antes investir, leia-se, dar prioridade, noutros sectores – o meio-campo e o ataque."



Não concordo nem com a compra de outro defesa central, nem com a subida em definitivo do Daniel Carriço para os seniores.

Faltam 16 jornadas para o fim do campeonato, e mais alguns jogos da Taça, para este tipo de calendário creio que não faz nenhum sentido ir gastar dinheiro em mais um defesa central ainda por cima porque não sabemos o que nos viria parar às mãos. Em vez de andarem atrás disto e daquilo prefiro apenas 2 elementos de qualidade, um Nº10 que faça a diferença (Rochemback) e um Nº9 fisicamente forte e bom cabeceador (Adriano). Gastem dinheiro em qualidade em vez de quantidade que depois é dispensada no final da época.

O Sporting já tem o Tonel e Polga 2 bons centrais e que se complementam muito bem com o tecnicismo e posicionamento de Polga a completar o jogo aéreo e garra de Tonel. Têm o Veloso à espreita, e se necessário podem socorrer no Daniel Carriço, com estes 4 estamos MUITO bem servidos e não é preciso direccionar investimento para reforçar este sector.

Eu penso que o Carriço deve estar pronto para ser chamado aos seniores mas deve ficar nos Juniores até ao final embora possa ir treinando com os graúdos para melhor ir conhecendo os colegas de sector e as suas características Espero que o Miguel Veloso jogue o máximo de minutos possíveis e jogue sempre a central pois para mim ele está a ser a revelação do ano no Sporting mas devido à sua falta de velocidade/mobilidade rende muito mais quando joga mais recuado e utiliza a sua capacidade de ler o jogo para se posicionar correctamente na expectativa.

A razão porque não quero ver o Carriço sair dos Sub-19 é porque ele e o Rui Patricio são para mim 2 dos 4 indispensáveis nesse plantel, e não sabemos (Luís Martins e Lima talvez saibam) como o plantel se ressentiria até ao fim do campeonato com a sua ausência. Até agora as opções foram Tiago Pedrosa que jogou 16 minutos na 10ª jornada Vs Setúbal, e o Jorge Abreu que jogou 90 minutos na 14ª jornada Vs Lusitano.
Pessoalmente ainda não vi nada que me desse garantias que o Sporting não irá sentir a ausência do Carriço embora eu esteja sempre curioso por ver mais dos centrais de 1º ano. O Jorge Abreu parece ser muito semelhante ao Lança, 2 centrais que gostam de jogar na expectativa e marcar zonalmente muito próximo do Rui Patricio criando uma vácuo entre os centrais e o trinco que não existiria se um dos centrais gostasse de jogar mais adiantado, algo a que o Marco se viu forçado na ausência do Carriço. A vitória por 4-0 Vs Lusitano para mim não prova nada, ainda é muito cedo para tirar conclusões positivas.

Desconheço as características do Tiago Pedrosa mas talvez ele esteja mais talhado para jogar com o Marco Lança do que o Jorge Abreu mas até me convencerem disso eu prefiro que ele não seja dispensado dos Juniores, que vá treinando nos A, que seja convocado, que jogue aqui e ali para se manter motivado, mas que esteja sempre ao dispor dos Juniores. Para o ano já poderá partir à conquista do mundo.

O Rui Patricio está a ser bem utilizado, vai treinando com os A, é convocado para os jogos dos seniores, mas continua a jogar com regularidade nos Juniores. Para mim devia ter jogado a titular na Madeira, não existe qualquer lógica (excepto uma lesão) que justifique o Tiago ter prioridade sobre o Patricio. O Rui mesmo aos 18 já é mais jogador que o Tiago, não tenham medo porque ele não decepciona ninguém e bem que podia ter beneficiado de alguns minutos a jogar pelos A.

Miguel Veloso em grande, Patricio a evoluir, Pereirinha na forja e Carriço de prevenção, é isto mais do que qualquer outra coisa que me dá orgulho no meu clube, o Sporting Clube de Portugal.



André Figueiredo

 
At 14:26, Blogger Gonçalo said...

Olá André, é impressão minha ou no princípio da época indicavas o Miguel Veloso para interior-esquerdo e agora coloca-lo a defesa-central? Na minha opinião é um polivalente que tanto faz bem o lugar de defesa-central como seria um jogador muito interessante como interior-esquerdo. Sem dúvida a revelação até ao momento nesta época do Sporting.

"Acabámos, entre aspas, com as contratações de nível médio - ou jogadores de plantel, digamos assim - e fomos à procura de qualidade máxima, ou em jovens ou em elementos deste nível. E pensamos também que a nível de outras áreas de acção do clube, marketing e desenvolvimento da marca, também era importante termos jogadores de um determinado carisma." Fonte: O Jogo, 25 de Dezembro de 2006

Este é um excerto da entrevista de Mourinho que analisei com bastante atenção dado ser uma referência no mundo do futebol com opiniões frontais e muito interessantes. E retirei esta parte porque pensei no meu clube quando Mourinho falou da sua política de aquisições. E no Sporting também é necessário começar a contratar menos jogadores medianos como Kokes e Mottas, entre outros, e seguir a aposta na formação, apenas recorrendo ao mercado externo para adquirir jogadores de qualidade inegável e que constituissem também um bom negócio do ponto de vista do Marketing do clube.
Por isso, e numa altura em que há necessidade de reforço da equipa, recorra-se inicialmente à prata da casa e aos jogadores emprestados e se as alternativas não surgirem desta forma, recorram ao mercado externo mas apenas se a solução for bastante credível. Começo a ficar cansado de ver tantos jogadores "passear" em Alvalade nas segundas voltas dos campeonatos, quero dar tempo aos jogadores jovens da formação mesmo que os títulos não surjam a curto prazo, ou então ver adquiridas certezas do futebol para o futebol do Sporting. Rochemback é um desses exemplos.
Continuação de Feliz Natal:)

 
At 15:21, Blogger André179 said...

"Olá André, é impressão minha ou no princípio da época indicavas o Miguel Veloso para interior-esquerdo e agora coloca-lo a defesa-central?

Sim, eu disse isso, mas apenas porque achei e acho que o Miguel tinha/tem mais possibilidades de ir acumulando minutos nessa posição do que tem hipóteses de desalojar Anderson Polga do eixo. No meio campo o Sporting tem rodado muito o seu quarteto como sinal claro que com a excepção de Moutinho nenhum convenceu PB e portanto não existe por ali ninguém que impeça MV de ir jogando.

Para mim o Veloso pode jogar como interior esquerdo (defensivo), trinco, central de marcação zonal ou lateral esquerdo mas para mim ele rende mais como defesa central complementado por um Tonel ou Daniel Carriço. Apenas disse que o queria no meio campo oporque ai tem mais hipóteses de jogar e poder evoluir. Tendo em conta a sua falta de velocidade penso que é preferivel jogar o mais recuaod possível.

Tanto a nivel de performances em campo como a nivel de discurso para os media ele tem sido sereno e educado, etc. O Veloso tem sido muito agradavel tanto como jogador, e como exemplo para os jovens em geral. É mais um com um discurso na veia de Moutinho, o Yannick também parece um jovem muito calmo e que não diz disparates quando abre a boca.

Gostava de ver alguém da SAD confirmar se a clausula do Yannick sempre é de 30.000.000, custa-me muito a acreditar nisso.

Concordo que o Sporting se deve socorrer apenas do mercado quando é em situações para as quais não existem soluções nas camadas jovens. Como eu vejo as duas lacunas como sendo um Nº10 e Nº9 penso que seria melhor ir procurar ao mercado pois não vejo ninguém nos juniores que me encha as medidas nessas 2 posições. Venham só 2 elementos mas que sejam decisivos.

Podem dizer tudo o que quiserem sobre aquisições a custo zero, mas a verdade é que pagar salários a 6 ou 8 medianos em vez de 2 ou 3 excepcionais também pesa nas finanças. Como tudo na vida eu prefiro qualidade em vez de quantidade, e gostava de ver mais estabilidade nos planteis em vez de ver um XI titular tão diferente de 24 em 24 meses, não me refiro a manter as referências (os velhotes) mas sim a manter no plantel jogadores decisivos que sejam a cara do clube ao longo de 4 ou mais anos, é preciso pensar no Sporting e imediatamente pensar num João Moutinho, um Anderson Polga, ou Liedson. É preciso alguém no futuro se lembrar de uma era no Sporting e poder identificar essa era como a do jogador A, B ou C e não César Prates, Mário Sérgio, Miguel Garcia, Rogério, Abel, Caneira, etc, é preciso alguém de qualidade que agarre o lugar e se torne emblematico.
Só 2 ou 3 jogadores decisivos não chega, é preciso um núcleo duro ao qual seja adicionado 2 ou 3 de qualidade todos os anos para renovar ambições e injectar frescura e lentamente rodar para fora os acomodados, só que esta treta do "núcleo duro" é apenas uma expressão usada por "politicos" para convencerem os otários a votarem neles, infelizmente nunca existe estabilidade necessária para construir uma grande equipa canalizando para isso o orçamento ao longo de 3 ou 4 anos. OS adeptos em Portugla também nunca iram conpreender um projecto que só renderia dividendos ao fim de 2 ou mais anos. Acredito que com FSF vamos ter mais estabilidade do que com Roquete e Dias da Cunha, o futuro dirá.

Não vejo o João Gonçalves ou André Pires como solução para o Nº10 dos seniores (Yannick Puppo logo se verá) mas nunca se sabe como eles poderão reagir quando tiverem 10 adultos a jogar à sua volta para lhes dar força.
O Ricardo Nogueira não é o Nº9 que os seniores precisam para complementar o Liedson, o Diogo Tavares teria dado mais jeito mas isso é uma estória com barbas. O André Cacito é um jogador que se enquadraria melhor naquilo que os seniores buscam num Nº9 mas ainda é junior de 1º ano.



André Figueiredo

 
At 19:17, Anonymous Mourovsky said...

Concordo plenamente quando referes q não há identificação de jogadores com uma era. Isto é sintomático do futebol a que chegamos pós-Bosman, em que se vai buscar estrangeiros a torto e a direito, e quando temos bons jogadores somos incapazes de os segurar porque vêm os tubarões, que tambêm não têm limites de estrangeiros nos seus países, e contratam as nossas pérolas. Se os conseguíssemos segurar por 3,4,5 anos era óptimo e ver-se-iam resultados, talvez como no Ajax, que é capaz de segurar os seus jogadores a médio prazo (pelo menos antes era). Tenho saudades dos tempos em que em Portugal os grandes tinham 7,8 portugueses na equipa principal e os estrangeiros eram de qualidade, de selecção. Lembro-me dos internacionais brasileiros que passaram nos 3 grandes e marcaram eras, por exemplo. O curioso é verificar que as equipas portuguesas com maior sucesso lá fora tinham uma maioria de portugueses no onze. Antes da era Bosman era normal que assim fosse, mas pós-bosman verificamos que o grande FCP de Mourinho tinha 8,9 portugueses no onze, pelo que acho que o caminho a seguir em Portugal é mesmo esse, a formação, e ter capacidade de segurar os produtos da mesma, não só para bem dos clubes que os formam, porque podem desenvolver um trabalho continuado, como também para os próprios jogadores, porque quando saem muito novos raramente triunfam lá fora, a não ser que sejam extraterrestres como o Cristiano Ronaldo. Uns simplesmente desaparecem, outros têm que voltar à base - Portugal- para relançarem a carreira - Quaresma, Simão, Hugo Viana, etc.

Através do link para o site planetadofutebol do Luís Freitas Lobo, recebi uma grande prenda de Natal. O Site é uma autêntica lufada de ar fresco, sem as "coisas feias" que encontramos diariamente na leitura desportiva nacional. O homem percebe de futebol, é um apaixonado, e nunca encontrei artigos tão diversos e interessantes sobre este desporto. Simplesmente espectacular, e em português, reencontrei a magia perdida do futebol. Obrigado

Continuação de boas festas

P.S. O teu blog tb não fica atrás :) Abraço Gonçalo Moura

 
At 22:01, Blogger André179 said...

"Concordo plenamente quando referes q não há identificação de jogadores com uma era. Isto é sintomático do futebol a que chegamos pós-Bosman, em que se vai buscar estrangeiros a torto e a direito,"

Mas existem clubes geridos com projectos e contratações criteriosas que se encaixam no modelo de jogo no qual a equipa se baseia e estão ali para render a longo prazo como no caso do Milan que contrata um Kaká, Alessandro Nesta, Dida, Cafu, Inzaghi, Pirlo, Seedorf.
O Bayern com Poldoski, Makaay, Kahn, Lucio, Van Buyten, ou um Manchester United que contrata o Ronaldo, Rooney, Ferdinand, Carrick. A gente olha para estas contratações e sabemos que fazem parte de um projecto que está a ser construido (ou renovado) aos poucos com "amor" e cuidadosamente. Pessoalmente não gosto do Ferguson porque ele fala muito mas raramente me impressiona, parece mais um "canalizador" que é um bom gestor de rescursos humanos e arranjou emprego como Manager, mas de futebol não parece perceber muito e se vai apoiando em Queiroz, Brian Kidds, Steve McClarens como treinadores de campo, etc.
Mas adoro a maneira como Ferguson constroi o Man Utd ciclo após ciclo em 20 anos já construiu 3 planteis distintos, a era do Bryan Robson, a era do Cantona e Keane, e a era do Ronaldo e Rooney. Isto são clubes geridos como empresas com projectos a longo prazo, algo que é raro em paises latinos como Portugal e Espanha onde se contrata 20, sai o treinador e despacham 20 e contratam outros 20 e se vêm disparates como o Diego a ser corrido (alguém não antevia a burrada que estava a ser feita?), o Manoel, Ezequias, Sonkaya, e o Wender a serem contratados, enfim coisas que não cabem na cabeça de ninguém.

Não consigo gostar de um clube como o Chelsea, em parte porque não tem historial, mas por outro lado porque a partir de 2004 revolucionou o plantel de uma maneira brutal que practicamente cortou com o passado e introduziu algo completamente diferente. Ainda lá está o Lampard e Terry mas esta equipa tem uma "cara" tão diferente que parece um clube fundado em 2004, não existiu trabalho, projecto algo que a gente possa admirar o esforço dedicação e perseverança, simplesmente um dia não estava ali e agora está. É mais interessante ver um clube lentamente a construir um plantel criteriosamente e é por isso que gosto de clubes como o Manchester, Arsenal, Milan, Bayern. Estabilidade, planeamento.

"e quando temos bons jogadores somos incapazes de os segurar porque vêm os tubarões, que tambêm não têm limites de estrangeiros nos seus países, e contratam as nossas pérolas."

O Sporting não pode pagar ao Ronaldo o mesmo que paga o Man Utd, mas quase de certeza que quando saiu em Agosto de 2003 era dos mais mal pagos portanto porque não colocar um miudo de 18 anos no tecto salarial máximo e aguentar por cá mais 2 anos? Com a saida de Ronaldo entraram o Silva, Mário Sérgio, Polga, Rochemback, Clayton, Ricardo etc, é certo que alguns destes jogadores servem (ou serviram) a sua utilidade mas todos eles vieram para Alvalade contratados com o dinheiro da venda do Ronaldo (Quaresma e César Prates) e todos eles ganhavam mais no Sporting do que o Ronaldo quando saiu portanto vale a pena perguntar porque razão se canaliza dinheiro para pagar a 7 novatos sem provas dadas no clube e não para um de qualidade indiscutivel que está de partida?

Obviamente que pagar o tecto salarial a um miudo de 18 anos é algo fora do comum e poderia criar invejas mas pesando os prós e contras eu acho que faria sentido no minimo aumentar o miudo e tentar que ficasse pelo meno mais um ano. Se for a acreditar no que leio nos jornais parece que esta SAD está disposta a arriscar num miudo de 20 anos chamado Moutinho e acho bem, se tem qualidade merece mais dinheiro independentemente da idade, ainda por cima este miudo tem personalidade de homenzinho.

Outro exemplo é Rochemback, já cá estava, já sabiam o que ele podia render no contexto deste campeonato mas deixaram sair. É certo que o Boro lhe pode pagar o triplo mas existem maneiras de dar a volta a isto. O Sporting não lhe podia pagar mais que o tecto salarial senão os outros no "tecto" também haviam de querer mais, MAS em vez de mais em salários podiam ter assinado contrato com o Rocha (independente do Barça) com um prémio de assinatura. De onde viria esse dinheiro? Simples, então não gastaram 3,5 milhões na compra do Wender e João Alves? Talvez por 1 milhão de bónus o Rocha ficasse por cá, mas mais uma vez investiram mal o dinheiro. Em retrospectiva todos temos opiniões e gostamos de criticar mas eu NUNCA teria vendido o Ronaldo e Quaresma no mesmo ano, e não teria largado o Rochemback (e emprestado o Silva) apenas para depois gastar 7 milhões em Deivid, Alves, Wender. O investimento no Pinilla (2,5 milhões?) também está a ser muito bem gerido com estes empréstimos ridiculos que fazem tanto sentido com emprestar o Edgar Marcelino ao lanterna vermelha da Holanda ou emprestar o André Nogueira ao Esmoriz. Estou certo de que existem razões perfeitamente lógicas para tudo isto, mas eu desconheço essas razões.

"Se os conseguíssemos segurar por 3,4,5 anos era óptimo e ver-se-iam resultados, talvez como no Ajax, que é capaz de segurar os seus jogadores a médio prazo (pelo menos antes era)."

O Ajax já não deve ter o prestigio que tinha se tem jogadores como Van der Vaart a fugirem para o Hamburgo, os clubes Holandeses vendem os Robbens e Kezman a preço de chuva, não parece ser um mercado muito dificil para os grandes da europa. Quem viu o Europeu de Sub-21 sabe que anda por ali muito "brinquedo" interessante, o Huntellar, Castellen, Vlaar, Nigel DeJong, Maduro, Ryan Babel. Creio que o DeJong também já se pirou da Holanda para ir para um clube "ranhoso" na Bundesliga.

"Tenho saudades dos tempos em que em Portugal os grandes tinham 7,8 portugueses na equipa principal e os estrangeiros eram de qualidade, de selecção. Lembro-me dos internacionais brasileiros que passaram nos 3 grandes e marcaram eras, por exemplo."

Um Aloisio, grande jogador e que esteve muitos anos no Porto. Procuro em todos os clubes um "Maldini", nenhum se compara mas alguns pelo menos tentam. Infelizmente vemos jogadores que se ficam no banco durante umas semanas dizem logo que querem sair do clube mesmo sendo homens da casa, muito decepcionante a atitude do Beto e do Jorge Costa, se tivessem ficado quase de certeza teriam ganho a aposta.

"O curioso é verificar que as equipas portuguesas com maior sucesso lá fora tinham uma maioria de portugueses no onze. Antes da era Bosman era normal que assim fosse, mas pós-bosman verificamos que o grande FCP de Mourinho tinha 8,9 portugueses no onze, pelo que acho que o caminho a seguir em Portugal é mesmo esse, a formação, e ter capacidade de"

Creio que o XI na final VS Monaco só tinha o Carlos Alberto e Alenitchev como "estrangeiros" pois o Derlei e Deco já eram Tugas por essa altura. Baia, Ferreira, Costa, Carvalho, Valente, Costinha, Maniche, Deco e Derlei estavam nesse XI se não estou em erro, tenho cá em casa esse DVD, mas prefiro 1000 vezes o Porto 02/03, grande equipa.

"segurar os produtos da mesma, não só para bem dos clubes que os formam, porque podem desenvolver um trabalho continuado, como também para os próprios jogadores, porque quando saem muito novos raramente triunfam lá fora, a não ser que sejam extraterrestres como o Cristiano Ronaldo. Uns simplesmente desaparecem, outros têm que voltar à base - Portugal- para relançarem a carreira - Quaresma, Simão, Hugo Viana, etc."

O Ronaldo singrou porque teve um treinador que sabe lidar com jovens e pouco a pouco vai lhes dando minutos aqui e ali e muita confiança, ele sabe moldar jovens, muitos treinadores só querem jogadores feitos. O Hugo Viana e Postiga não são talhados para o futebol Inglês, o Postiga não tem jogo aéreo e o Viana é um jogador pouco fisico que gosta pouco de levar porrada (ou também sou como ele). O Quaresma não vingou exactamente porque era novinho e também nunca me pareceu ser nenhum "Einstein" do pescoço para cima, aos poucos está a aprender a modificar o seu jogo de maneira a jogar mais para a equipa e a defender mais, teve a sorte de apanhar Boloni, Adriaanse e Jesualdo. O Simão não conseguiu triunfar porque o Barça naquela altura era um caos (o Simão com 19 anos já jogava MUITO). O futebol Espanhol é um turbilhão, a gente bem vê o que Van Gall, Radomar Antic, Luxemburgo, Garcia Remon, Rainieri fizeram nos anos mais recente nos 3 grandes de Espanha, confusões tremendas e remodelações de planteis todos os anos, um autêntico entreposto comercial.

Um dia vão fazer um estudo do numero de contratações do Milan nos últimos 20 anos e depois fazem o mesmo em relação ao Real Madrid, aposto como o Madrid tem mais do triplo, é um mundo diferente, entram e saiem presidentes/treinadores/jogadores/sistemas tácticos.

O Carlo Anceloti se estivesse a trabalhar no Real Madrid/Valencia ou no Sporting/Benfica já tinha sido despedido em Novembro.



André Figueiredo

 
At 01:03, Anonymous Anónimo said...

Grand jogador... grand futuro num grand clube... com um grand numero de fãs...´bj

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home